Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

WikiLeaks contra a democracia fake e o jornalismo faz de conta

Por Renato Rovai, em seu blog

As reportagens que estão sendo produzidas a partir da liberação de documentos públicos tratados como secretos pelo governo dos EUA apontam para um novo momento nas relações democracia e mídia e podem ser a base para a construção de um novo tempo nas relações entre público e privado.

No texto onde revela que “foi convidada por Julian Assange e sua equipe para trazer ao público brasileiro os documentos que interessam ao nosso país”, a jornalista Natália Viana chama isso de transparência radical. Arriscaria chamar esse novo processo de “democracia sem intermediários”. Nem governos nem a mídia podem ter o controle sobre as decisões e as informações que dizem respeito a toda a sociedade.

Aliás, parabéns ao Opera Mundi, que tem como editor o parceiro Breno Altman, e em especial à Natália Viana, que mostra mais uma vez que é jornalista de fino faro.

Ainda há muitos documentos dessa primeira leva que a WikiLeaks teve acesso (251,287 textos) para serem trabalhados. Mas mesmo isso é só o começo.

A partir dessas revelações o que está em jogo é a democracia fake a que estamos submetidos e esse jornalismo faz de conta, que tem como prioridade o sucesso comercial dos projetos e não a defesa do interesse público.

A defesa do WikiLeaks passa é fundamental para pavimentar o caminho da radicalidade democrática. E por isso é jogar contra esse processo ficar dando vazão a teorias conspirativas. Duvido que o vazamento desses documentos tenha a ver com a tentativa de desmoralizar ainda mais o governo Obama, até porque há muitas revelações contra a gestão Bush. Mas mesmo que fosse isso, há um jogo muito maior sendo jogado. E que nos interessa a todos, o jogo do fim das mediações.

Nenhum comentário: